Níveis Mentais

Existem outras vias de conhecimento que não são as vias habituais.  Vamos aprender e explicar o que é a hipnose, que é uma ciência fascinante, mas infelizmente muito mal esclarecida.

Aos olhos da grande maioria, o hipnólogo é aquele que impõe a sua vontade aos outros e fazendo o que bem quiser com as pessoas e pior.  Como já me perguntaram muitas vezes, o paciente vai para algum lugar e não volta.  Por isto, psicologicamente falando, as restrições que se vêm fazendo à prática e à difusão do hipnotismo.  Os hipnólogos dizem não gostar de difundir seus segredos e geralmente não poupam sacrifícios para neutralizar uma possível concorrência.

A hipnose nada mais é que sugestão e sugestão pelo que se entende é poder.  As dificuldades desta ciência derivam, pois, de sua própria natureza complexa, de seu caráter um tanto espetacular, das manifestações psicológicas que envolvem os da crença no sobrenatural, aliada a uma ignorância ainda bastante generalizada a seu respeito.  O público de um modo geral ainda conserva um temor supersticioso e as ciências ortodoxas se aproximam com receio e cautela.

A prática do hipnotismo é estritamente velha, velha como a própria humanidade, conforme achados arqueológicos na velha Babilônia, Grécia, Egito etc.  Muitos sábios, filósofos e líderes religiosos se dedicaram ao hipnotismo e ainda nos tempos chamados modernos ainda se usa, mais no Oriente como há milênios, mantendo uma tradição ininterrupta na prática principalmente religiosa entre faraós, hindus, chineses e tibetanos (e os antigos persas) que são considerados dignos da atenção de hoje com vasta literatura (sobre ocultismo).

O súbito aparecimento do hipnotismo no Brasil ocorreram por volta dos anos 50 a partir do ressurgimento no plano mundial, após um período de latência.

A hipnose tem como regra que ninguém é hipnotizado sem o seu consentimento e o super-ego (o censor de Freud) está sempre presente nesta ação ou seja, se o hipnólogo der uma sugestão contrária às leis morais do “Sujet” (como é chamada a pessoa na hipnose) ele reage subitamente.  Hipnose, como foi chamada, vem de HIPNOS = SONO em grego; após algum tempo observaram que não é SONO e sim um estado de grande relaxamento, que proporciona um bem estar enorme, sendo detectado no ELETROENCEFALOGRAMA.  Vamos observar o gráfico:

BIORRITMO CEREBRAL

(BETA –

+ de 14 ciclos por segundo

(ALPHA –

de 8 a 14 ciclos por segundo

(THETA –

de 4 a 7 ciclos por segundo
(DELTA – menos de 4 ciclos por segundo

O estado BETA é chamado de atenção ou vigília diurna como nós estamos agora.

O ALPHA é o que nos interessa, pois é este o estado de relaxamento.

THETA – Quando estamos sonhando e DELTA já pertence ao sono profundo.  Então o BIORRITMO CEREBRAL ficaria assim:

(BETA –
(ALPHA –
(THETA –
(DELTA –

A vida moderna obriga-nos a acumular doses maciças de tensão e frustração que não temos modo de eliminar na vida ativa.  Como foi comprovado, este estado chamado ALPHA, equivale a uma (1) noite de sono, repondo assim nossas forças.

Neste estado também são liberadas as chamadas ENDORFINAS que, falando na Química CEREBRAL funcionam como analgésico e aumentam consideravelmente a tolerância à excitação e à dor física.

Assim sendo este estado só traz benefícios.

Ao hipnotizar uma pessoa ou SUJET podemos ter acesso ao chamado SUBCONSCIENTE mais facilmente, detectando traumas vivenciais bons ou negativos, esclarecendo que a hipnose nunca é estado de INCONSCIÊNCIA, sendo que a pessoa fica inteiramente ciente de tudo que ocorre na presença do hipnólogo e do que ocorre o tempo todo.  A hipnoterapia nos mostra rapidamente os nossos traumas e fobias ou, como chamam, a nossa CAIXA PRETA.  Podemos assim, curar, amenizar rapidamente os mesmos, pois a própria pessoa nos relata o que sente, as lembranças, as dores e tudo o que se refere a estas questões.

A hipnose para um entendimento é uma grande arma de cura e compreensão e, bem explicado, não existe lugar de onde a pessoa vai e não volta.  O que existe na verdade são grandes interesses materiais envolvendo a hipnoterapia pois sendo uma terapia breve, não interessa a muitos esta rápida cura.  Espero ter esclarecido assim o que é a hipnose.

OBS.: Tenho mais de 20 anos como hipnoterapeuta.  A hipnose não é apenas uma ciência é também uma arte, a arte de convencer.  Hipnotizar é convencer.  Só sugestiona quem convence e só quem convence hipnotiza.  Este estado chamado ALPHA é comumente conhecido por todos nós quando, ao acordar, continuamos deitados, relaxados, mas sabemos e ouvimos tudo à nossa volta.  É chamado, no NORTE e no NORDESTE, simplesmente “madorna”.

ESCLARECENDO OS BENEFÍCIOS DA HIPNOSE

Os PARAPSICÓLOGOS resgataram, e muito, a hipnose pois usando-a, melhor se consegue obter das pessoas os chamados dons extrassensoriais, encontrando-se no SUJET várias gradações de “transe”, como é chamada pela ciência.  Hoje utilizamos a hipnose para facilitar:

1 – Transe Leve

2 – Transe Médio

3 – Transe Profundo

Verificando-se, também, as pessoas chamadas insuscetíveis, aquelas que mesmo querendo não conseguem ser hipnotizadas.  Na minha opinião e experiência, a maior causa disto é a má informação que provoca medo.  O que um bom técnico consegue com informação e insistência é “furar” este empecilho, pois não há segredos para um bom hipnólogo.  Existem, sim, técnicas que levam a pessoa ao estado ALPHA, repetindo: grande relaxamento.  Com boas técnicas, voz adequada e repetição das sugestões, conseguimos bons efeitos.  É claro que o paciente deve ter também a vontade de ajudar, não desistindo logo na primeira tentativa.  Assim conseguimos, rapidamente, bons resultados.  Sabendo-se que a hipnose proporciona curas e melhoras, ela também auxilia a reprogramação mental.  Como funciona a reprogramação mental?  Simplesmente sugestionando-se o paciente para substituir os pensamentos negativos com sugestões positivas deste mesmo pensamento, sem necessariamente alterá-lo.

Na REGRESSÃO INTRAUTERINA, por exemplo, detectamos que o feto já sabe tudo que ocorre a sua volta: se é desejado, se foi programado, se os pais brigam etc.  Este trabalho permite que as pessoas revivam e lembrem fatos relacionados ao seu desenvolvimento dentro do útero, revivenciando traumas, fatos e sentimentos que aconteceram a partir do exterior.  Comprova-se assim a sensibilidade da criança ao que acontece em torno de si mesma, também relatando seu nascimento que pode ser, em alguns casos, altamente traumatizante.

Sendo assim, a regressão intrauterina e a vidas passadas também é forma de autoconhecimento.

~ por viaestelar em Março 26, 2010.

Uma resposta to “Níveis Mentais”

  1. Eu quero saber como se aprende o hipnotismo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: